Notícias

Março Azul: Mês de conscientização e prevenção do câncer colorretal

11/03/2019 11:15

O mês de março aborda a conscientização e prevenção do Câncer Colorretal, um tipo muito frequente de câncer que se caracteriza por tumores que acometem o intestino grosso. Abaixo, apresentamos a entrevista com a Doutora Maira Villela de Souza Duizith, Oncologista Clínica da Oncobarra, que nos ajudou a entender um pouco mais sobre esse tipo de Câncer. Confira:

SCBM: O que é o câncer colorretal?

Dr. Maira: O câncer colorretal é uma neoplasia, ou seja, tumores que acometem o intestino grosso, o qual é subdividido em cólon e reto (extremidade mais distal , ou seja,  final do intestino, imediatamente antes do ânus).

SCBM: É um tipo de câncer frequente ou raro?

Dr. Maira: É um tipo frequente de câncer. Tirando os tumores de pele não melanoma, na mulher é o segundo tipo mais comum (depois de câncer de mama) e no homem é o terceiro mais comum (depois de câncer de próstata e pulmão). Estimativa do INCA em 2018: 36.360 novos casos em 2018, sendo 17.380 em homens e 18.980 em mulheres. Tem alta letalidade também. (16.697 mortes, sendo 8.163 em homens e 8.533 mulheres)

SCBM: Quais são as causas do câncer colorretal?

Dr. Maira: Não existe uma causa única, porém há fatores de risco para o seu desenvolvimento, como:

  • Idade acima de 50 anos;
  • Sobrepeso e obesidade;
  • Alimentação não saudável (pobre em frutas, vegetais e fibras);
  • Consumo excessivo de carnes processadas (mortadela, presunto, blanquet de peru, linguiça, bacon, etc);
  • Ingestão excessiva de carnes vermelhas (mais de 500g por semana);
  • Histórico familiar de câncer de intestino;
  • Histórico pessoal de câncer de intestino no passado, de câncer de ovário, útero ou mama;
  • Tabagismo, etilismo;
  • Doenças inflamatórias intestinais como retocolite ulcerativa crônica, doença de Crohn;
  • Doenças hereditárias como poliposo adenomatosos familiar, câncer colorretal hereditário sem poliposo;
  • Exposição a irradiação ionizante (como raio - x e Gama).

SCBM: Qual a forma de prevenção mais indicada para esse tipo de câncer?

Dr. Maira: Evitar os fatores de risco, manter peso adequado, alimentação saudável, não fumar nem beber.

SCBM: Quais são os sintomas da doença?

Dr. Maira: Sangue nas fezes, alteração do hábito intestinal (ora diarreia, ora prisão de ventre), dor abdominal, fraqueza, anemia, perda de peso sem causa aparente, alteração na forma das fezes (finas e compridas, principalmente no câncer de reto), tumoração no abdome.

SCBM: A doença tem relação com alimentação?

Dr. Maira: Sim, como dito acima: carnes processadas e carne vermelha em excesso. Tabagismo e alcoolismo, má alimentação de forma geral.

O ideal é que se faça um rastreamento a partir dos 50 anos com pesquisa de sangue oculto nas fezes e caso venha positivo, complementar com colonoscopia ou retossigmoidoscopia para o diagnóstico. E investigar as pessoas que tenham sintomas citados acima, que nem sempre é câncer, mas idealmente procurar um gastroenterologista para que faça os exames adequados e, quando necessário, colonoscopia com biópsia para seu diagnóstico.

SCBM: Qual é o tratamento?

Dr. Maira: Cirurgia é o tratamento inicial geralmente. Retira-se parte do intestino e seus gânglios linfáticos (linfonodos) em volta. Alguns casos, dependendo do estadiamento, se complementa com quimioterapia e/ou radioterapia (a radioterapia é mais utilizada nos tumores de reto). Alguns casos, inclusive metastáticos, pode-se tratar com cirurgia (quando há pouco nódulo no fígado e no pulmão, por exemplo) e quimioterapia.

Texto: Maele Fuentes
Direção de arte: Otávio Henrique
Fonte: Doutora Maira Villela de Souza Duizith, Oncologista Clínica da Oncobarra

Fale com a Santa Casa

Envie sua mensagem para nós. Nossa equipe de
atendimento está pronta para tirar todas suas dúvidas.

Fale Conosco

Santa Casa de Misericórdia de Barra Mansa
Rua Pinto Ribeiro, 205 Centro, Barra Mansa - RJ, CEP : 27.310-420